O uso da telemedicina na UTI

3

A telemedicina na UTI representa uma opção cada vez mais presente em clínicas no Brasil e no Mundo. Através dela, os pacientes podem dispor de um atendimento de qualidade e acompanhamento constante, mesmo havendo uma barreira geográfica entre médico e paciente.

Algumas iniciativas voltadas para a implementação dessa prática em Unidades de Terapia Intensiva foram realizadas nos últimos anos. Entre elas, está o projeto TeleUTIP do Hospital Moinho dos Ventos em Porto Alegre (RS).

Por meio da telemedicina na UTI, o projeto tem fornecido atendimentos e monitoramento para instituições do SUS em Palmas (TO) e Sobral (CE).

Além disso, outras iniciativas também podem ser consideradas, como a do Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP) que tem prestado orientações, monitoramento e consultas para pacientes de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) do Piauí por meio da telemedicina.

Por que Implantar a Telemedicina na UTI

A telemedicina na UTI tem como principal objetivo trazer mais agilidade para diagnósticos remotos, bem como possibilitar que pacientes sejam monitorados por especialistas, ainda que ambos estejam situados em localidades geográficas distintas.

Através da telemedicina na UTI, milhares de pessoas podem ser atendidas por especialistas com agilidade e eficiência, mesmo estando a milhares de quilômetros de distância.

Com isso, além da qualidade de tratamentos e diagnósticos, através dessa prática é possível garantir mais acessibilidade a diferentes serviços em saúde para toda a população. Desde uma simples consulta, até mesmo os serviços em Unidades de Terapia Intensiva.

Em contrapartida, hospitais e clínicas também são beneficiados, uma vez que há uma redução no tempo de espera por determinados serviços, sem falar na economia de tempo e dinheiro em cada procedimento.

Telemedicina na UTI: Possibilidades e tecnologias aplicadas

A telemedicina na UTI evoluiu muito nas últimas décadas. E é justamente por conta disso que a Tele UTI tem se tornado uma tendência cada vez mais forte.

Entre as principais possibilidades e tecnologias a serem aplicadas neste setor da saúde, estão:

1.      Videoconferências

A videoconferência é um tipo de ferramenta simples, mas que oferece grande potencial para médicos e equipes. Através dela, os profissionais podem discutir pontos importantes sobre tratamentos e diagnósticos, de qualquer lugar ou a qualquer hora.

Atualmente, é possível realizar esse tipo de transmissão até mesmo com a utilização de dispositivos móveis. Isso torna os atendimentos mais ágeis e tomadas de decisões mais assertivas visando o bem-estar e a saúde do paciente.

2.      Agilidade nas admissões

Boa parte dos quadros clínicos tratados em UTIs são de média e alta complexidade. E uma rápida consulta admissional é fundamental para a pronta recuperação do paciente.

Com a telemedicina, isso é totalmente possível, já que o tempo de entrada e admissão do paciente em um hospital pode ser reduzido por meio da teleconsulta. Isso porque, não há a necessidade de deslocamento físico por parte do profissional que está efetuando o atendimento.

3.      Big Data e inteligência artificial

Os bancos de dados também são recursos amplamente utilizados dentro da telemedicina na UTI. É através deles que os profissionais podem reunir informações pertinentes e, com isso, definir diagnósticos e tratamentos mais precisos para cada paciente.

Hoje em dia sabemos que a mente humana tem uma limitação grande em relação ao processamento de dados. Contudo, o Big Data em conjunto com a inteligência artificial, possibilita que muitas informações sejam analisadas ao mesmo tempo.

Dessa maneira, os diagnósticos podem ser identificados rapidamente, e os melhores tratamentos indicados. Tudo isso com uma taxa de erro pequena, tendo em vista que todas as probabilidades serão analisadas por máquinas criadas especialmente para isso.

Conclusão

A telemedicina na UTI já é uma realidade em vários lugares no mundo. Mas, com os constantes avanços da tecnologia e a atual regulamentação dessa prática em diferentes ramos da saúde, a tendência é que ela se torne ainda mais eficiente tanto na saúde pública, como na privada.

E você, o que acha disso? Acredite que a telemedicina na UTI pode contribuir para melhorar a qualidade dos serviços prestados dentro das unidades de TI e garantir mais acessibilidade a esse tipo de atendimento?

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco a sua opinião sobre o assunto!

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn